Curso de Especialização em Saúde Pública realiza 10º Módulo

Por 27.7.17




O Curso de Especialização em Saúde Pública, promovido pela Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco (ESPPE), abordou em seu 10º Módulo o uso dos Sistemas de Informação em Saúde para o Planejamento de Intervenções em Saúde no âmbito da Gestão de Sistemas de Saúde, questões fundamentais para a gestão do SUS. O módulo ocorreu no período de 05 a 07 de julho, em Garanhuns (Turma Agreste), e no período de 12 a 14 de julho, em Serra Talhada (Turma Sertão).

A gestão de um Sistema Nacional de Saúde orientado pelos princípios da universalidade, integralidade e equidade, como o SUS, exige dos trabalhadores muito mais do que conhecimentos específicos da área da saúde, da administração pública ou qualquer outra área de forma isoladamente. Surge daí a necessidade do uso dos Sistemas e Informação em Saúde para contribuir nos planos de intervenção.

Os questionamentos “Plano Plurianual, Plano de Saúde, Programação Anual de Saúde e Relatório Anual de Gestão, para que servem tais instrumentos? Como esses instrumentos têm feito parte do processo de trabalho nas Regionais de Saúde e municípios?” movimentaram os encontros e mobilizaram os trabalhadores em torno dos conceitos, estruturas, execução, organização, sistemas de informação e dos tipos de modelos de gestão de sistema de saúde desenvolvidos no Brasil e, em especial, no estado de Pernambuco.

Partindo de abordagens teóricas e em direção ao cotidiano dos serviços, a discussão sobre Sistema de Informação em Saúde buscou problematizar como tem ocorrido a relação entre Saúde x Comunicação no território, tanto para a população quanto para a tomada de decisão em saúde pelos gestores. Buscando, com isso, o aprofundamento sobre “Informação e dados em saúde”, “Principais bases de dados em saúde e qualidade da informação” e ”Utilização de softwares para análise e construção de indicadores”.

Por último, os integrantes do curso trabalharam o amadurecimento dos projetos de intervenção que vêm sendo construídos ao longo da especialização, começando por contribuir com as propostas de outros companheiros de sala ao apresentar a própria proposta e analisando as propostas dos demais, compartilhando impressões, fazendo sugestões, questionando viabilidade, relevância, além de outros aspectos fundamentais para uma intervenção e para o trabalho de todos os gestores de saúde.

Você pode gostar também

0 comentários